Casal é preso por vender drogas em grupos no WhatsApp

Uma operação da Coordenação de Repressão às Drogas (Cord) da Polícia Civil do DF prendeu, na última sexta-feira (9), um casal suspeito de vender drogas sintéticas para o Distrito Federal e 12 estados.
O homem de 24 anos e a mulher, de 19, foram encaminhados para a sede da Polícia Civil em Brasília, no Parque da Cidade. A identidade deles não foi divulgada para não atrapalhar as investigações.
De acordo com o G1, o casal vendia ecstasy e LSD em pelo menos três grupos de WhatsApp. A polícia informou que os grupos reuniam “centenas de usuários e subtraficantes”.
Os pagamentos eram feitos em contas de laranjas e, depois, os traficantes enviavam as drogas via Sedex pelos Correios.
Nas conversas, o casal anunciava promoções, fazia rateios e enviava brindes.
Os Correios afirmaram que “realizam uma fiscalização não invasiva das encomendas e utilizam técnicas que permitem identificar tais conteúdos” e afirmaram que “trabalham em sintonia com os órgãos reguladores” para prevenir o tráfico de substâncias proibidas.
“Não apenas nesta, mas em muitas operações policiais, as investigações começam por apreensões realizadas pela fiscalização dos Correios. Em 2018, por exemplo, foram realizadas 1.753 apreensões de medicamentos proibidos em todo o país”, informou a empresa, por assessoria de imprensa.
A polícia aprendeu na residência do casal 250 comprimidos de ecstasy, 500 pontos de LSD, 10 gramas de cristais puros de MDMA, uma balança de precisão e material para embalar as drogas.
A polícia também cumpriu três mandados de busca e apreensão nas casas de usuários e traficantes ligados a eles. Durante a operação, um homem foi preso por tráfico de drogas e dois adolescentes, apreendidos por posse de entorpecentes.
Por Yahoo.

Comentários