'Caso Daniel': Moto apreendida em casa de suspeito era de traficante

Durante a apuração da morte de Daniel Corrêa, a Polícia Civil do Paraná apreendeu uma motocicleta que estava na casa de Edison Brittes, assassino confesso do jogador, mas que pertencia a um traficante, segundo o delegado Amadeu Trevisan.

A motocicleta apreendida do modelo Cbr 100RR Repsol da Honda, de ano 2011, é avaliada em cerca de R$ 35 mil. O documento do veículo estava no nome de Celso Alexandre Pacheco Quevedo, condenado por tráfico de drogas e que está preso na Penitenciária Estadual de Piraquara (PR).
“Vamos fazer o relacionamento dessa moto com a vida antecedente dele. Por que essa moto está lá? De quem é a moto?”, disse o delegado. “Ela pode até abrir um outro inquérito policial porque é uma moto que está no nome de um traficante, que está com ele há muito tempo”.
Nas redes sociais, Edison postava fotos da motocicleta apreendida, muitas vezes acompanhado da esposa Cristiana em encontros de motociclistas.
O jornal Gazeta do Povo revelou também que Brittes foi parado em uma blitz usando um carro com chassi adulterado em 2015. Segundo a polícia, o veículo, um Hyundai Sonata, teve um alerta de roubo no ano anterior em Porto Alegre. O advogado de defesa, Cláudio Dalledone, disse que Edison comprou o carro, mas não sabia que tinha sido furtado.

Comentários