Dr. Rey diz ter convite da Marinha dos EUA: 'O Brasil não me quis'

O cirurgião plástico Dr. Rey, conhecido como Dr. Hollywood, procurou o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) na semana passada com vontade de fazer o Brasil renascer “como um pássaro fênix que está saindo das cinzas da esquerda”.
Queria se oferecer para ser embaixador ou ministro da Saúde no novo governo. Não foi sequer recebido por Bolsonaro. Problemas de agenda, disse. O não-encontro, no entanto, deixou o médico chateado e ele pensa em aceitar o convite que diz ter recebido da Marinha americana para ser capitão cirurgião.
“O Brasil escolhe modelos pornôs, palhaços e funkeiros para seus deputados. Fiz o máximo possível. Até me humilhei para participar dessa reconstrução, mas o Brasil não me quis. E não tem problema. Eu vou servir à nação que me adotou”, afirmou Rey, que imigrou para os Estados Unidos aos 12 anos, ao jornal O Globo.
Diz, no entanto, não estar decepcionado com a “incrível família Bolsonaro”. Sobre a proposta de ser embaixador ele fala: “Nós já somos embaixadores lá fora. Eu, Gisele Bündchen, Vitor Belfort, os Gracie, Fittipaldi, Pelé, Neymar (…) Não faz sentido, o Rey, formado na Harvard, ser embaixador nos Estados Unidos?”, questiona.
Já sobre o ministério da Saúde, garante ter várias propostas. “Qual pessoa melhor para trazer o sistema de Saúde do Primeiro Mundo para o Brasil do que o Rey?”, questiona.

Comentários