Família do menino queimado em carvoaria divulga conta para doações; estado de saúde dele continua grave

A família do menino João Miguel, de 5 anos, queimado em uma carvoaria, em Buriticupu, divulgou, nesta sexta-feira (16), uma conta bancária em nome da mãe para que sejam feitas doações em dinheiro.

Os depósito podem ser feitos em nome de Idenilsa Costa da Silva

CPF: 640.406.073-68

Banco do Brasil

Agência: 3642-0

Conta Corrente: 35.879-7

João Miguel teve queimaduras de terceiro grau na última quarta-feira (14), em uma carvoaria no povoado Sagrima. Ele teve 70% do corpo queimado e continua internado em estado grave na UTI do Hospital Municipal de Imperatriz.

Para realizar o tratamento, a criança precisará de doações, já que é de uma família humilde. Moradores da região têm se mobilizado e oferecem ajuda na porta do próprio hospital, onde ele está internado.

A reportagem do blog conversou, há poucos instantes, com uma tia do menino, Eliane Costa, que está no hospital, juntamente com outros familiares. A mãe, que estava em estado de choque, chegou somente agora à noite ao hospital para acompanhar a situação de perto.

Segundo informações, a preocupação inicial dos médicos era que com os rins de João Miguel, mas a situação já foi estabilizada e ele voltou a urinar. Agora, tentam resolver problemas sérios no fígado, que foi um dos órgãos mais afetados com a alta temperatura, além do cuidado com as lesões em quase todo o corpo.

Ele continua em coma induzido, respirando com a ajuda de aparelhos. Somente quando o quadro estiver totalmente estabilizado é que os médicos avaliarão a possibilidade de transferência para uma unidade de queimados em Goiânia, no estado de Goiás.

A Secretaria de Estado da Saúde está acompanhando de perto o caso do menino João Miguel e afirmou, por meio de nota, divulgada na quinta-feira (15), que já entrou em contato com um hospital especializado em tratamento de queimados, em Goiás, e que vai assegurar o transporte para o menino, além todo o auxílio pelo Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

Sobre o caso

João Miguel acompanhava o pai em uma área onde se faz carvão, quando correu em direção a um local em que havia um buraco coberto e fogo por baixo.

O pai, que correu para salvar o filho, ficou com queimaduras nos pés, mas não precisou ficar internado.

Outras duas pessoas também se queimaram no resgate do menino, mas foram liberadas após atendimento médico.
Por Blog do Gilberto Lima.

Comentários