Hacker do DF que fraudou 33 mil contas bancárias é preso em São Luís

Policiais da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos do DF  e do Departamento de Combate Crimes Tecnológicos (Seic/PCMA) cumpriram, na manhã desta quinta-feira (29), em São Luís, mandado de prisão preventiva contra  Isaac Vital de Lima, de 35 anos, acusado de participar de uma quadrilha especializada na prática de crimes pela internet.

Um programador também foi preso na cidade de Paulo Afonso, na Bahia. Felipe Luciano Amaral Santos, 27 era o responsável por desenvolver o vírus usado nas fraudes. Os dois foram detidos no âmbito da operação Paragon 3, que apura a ação dos criminosos no mundo virtual.

O objetivo da ação policial é desmantelar uma organização formada ainda por Itamar Silva Pereira, Mozart Rodrigues de Oliveira Júnior e outros indivíduos cujos nomes estão sendo mantidos em sigilo.

                    

As ações dessa quadrilha de cybercriminosos lesaram, por meio de furto mediante fraude, aproximadamente 33.000 mil contas bancárias pertencentes a vítimas de diversos Estados.

O modus operandi do hacker consistia em infectar roteadores através de um sistema sofisticado de invasão e instalação de artefatos maliciosos nos computadores das vítimas.

No dia 04 de julho deste ano, durante operação policial realizada na Cidade de Umuarama no Estado do Paraná, foi preso o líder da quadrilha Itamar Silva Pereira, com o qual foram apreendidos diversos bens de alto valor.

A função de Isaac Vital de Lima na organização criminosa era de auxiliar  o líder na invasão contas bancárias.  

Com o dinheiro furtado, os bandidos ostentavam lanchas, caminhões e quadriciclos.

As investigações prosseguirão com o objetivo de rastrear todas as transações financeiras movimentadas pelo investigado, analisar o conteúdo dos computadores e celulares apreendidos e apurar se há o envolvimento de outros autores, além de alcançar uma maior e eficaz produção de elementos probatórios que sejam suficientes para configurar de forma detalhada e precisa toda a estrutura hierárquica de uma possível organização criminosa, possibilitando a prisão de outros possíveis integrantes.

Isaac Lima já foi preso em 2015 pela Policia Federal por fraude contra Previdência Social. A justiça federal estava à sua procura para intimação, mas ele estava em local incerto e não sabido.

De acordo com o delegado da Polícia Civil do Distrito Federal, Gian Carlos Zuliani, a informação de que Isaac se encontrava em São Luís foi passada pelo líder da quadrilha.

“A informação de que o indivíduo estava aqui chegou através do líder da quadrilha que morava no Paraná, através disso foi feito o rastreamento do Isaac que utilizava técnicas modernas para se ocultar na internet e com o apoio da polícia do Maranhão conseguimos identificar e prender ele”, explicou.

O delegado confirma que confirmou que 33 mil contas foram acessadas pela quadrilha em vários Estados, com prejuízo de mais de R$ 1 milhão.

“O laudo pericial demonstra que 33 mil contas foram acessadas, nós temos um prejuízo estimado em R$ 1 milhão e 200 mil reais. O Isaac será levado para Brasília e tudo que for encontrado no computador dele que diga a respeito a vítimas em São Luís, nós vamos repassar para a polícia do Maranhão para continuar as investigações”, finalizou o delegado.
Por Blog do Gilberto Lima.

Comentários