Mais de 400 médicos cubanos devem deixar o Maranhão

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 457 médicos cubanos atuam no Maranhão pelo programa “Mais Médicos” Devem deixar seus postos de trabalho nos próximos dias.
O governo de Cuba anunciou a saída do programa social citando as declarações feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) em relação à presença dos profissionais no Brasil.
No Maranhão, segundo o Ministério da Saúde, os 457 médicos cubanos atuam na saúde básica em 167 municípios. O estado é sexto estado com maior número de médicos pelo programa.
Antes de começarem a trabalhar nas comunidades, os médicos fizeram provas para validação do diploma pelo ministério da saúde e um treinamento sobre o funcionamento do sistema único de saúde (SUS). Eles chegaram ao Maranhão em 2013 e assumiram postos nas unidades saúde básica, principalmente, na zona rural das cidades e em aldeias indígenas.
A Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde deverão fazer um relatório de impacto no Brasil sobre a saída dos médicos cubanos do programa mais médicos.
Na manhã dessa sexta-feira (16), o Ministério da Saúde divulgou que a seleção de médicos brasileiros para ocuparem as vagas abertas deve ser realizada ainda este mês.

Comentários