Motorista do caminhão usado por assaltantes do BB em Bacabal está desaparecido e sobrinha faz apelo; veículo foi incendiado na fuga

O motorista Obadias Pereira da Silva, que dirigia o caminhão baú usado no assalto ao BB em Bacabal, está desaparecido. Familiares não conseguem qualquer tipo de contato com o motorista.

O caminhão M. Benz/L1218, de placa JJC-0942, foi incendiado em uma estrada vicinal durante a fuga da quadrilha. Os assaltantes chegaram à cidade dentro do caminhão baú, que foi levado direto para os fundo da agência do Banco do Brasil, onde foi explodido o cofre principal. 

Pelas informações, a grande quantidade de dinheiro foi transportada no caminhão-baú, sendo transferida para outros veículos posteriormente.

Existe a possibilidade de o motorista ter sido levado pelos assaltantes que estão homiziados dentro do mato ou em áreas de sítios. Um grande número de policiais continua continua a caçada e fazendo o cerco nessas áreas, podendo ocorrer confrontos.

A sobrinha do motorista, Lene Monte, de Recife/PE, lançou um apelo no facebook numa tentativa de localizar Obadias Silva.

“O último contato que ele teve com a família foi no domingo, quando ele informou que estava na cidade de BACABAL-MA, onde houve um assalto a banco”, diz a sobrinha no facebook.

Confira a íntegra do apelo feito por Lene Monte

Oi Amigos!

Preciso da ajuda de vcs, meu tio estar desaparecido... Ele se chama OBADIAS PEREIRA DA SILVA.

Ele é caminhoneiro, viaja por várias cidades do Brasil. A última viagem ele foi para o Maranhão. O último contato que ele teve com a família foi no domingo, quando ele informou que estava na cidade de BACABAL-MA, onde houve um assalto a banco.

E bandidos fizeram ele e várias pessoas de "reféns", ninguém entrava e ninguém saía da cidade, depois disso não tivemos mais contato com ele.

Hoje pela manhã,vimos uma reportagem em que o caminhão dele foi incendiado.

Mas não temos nenhuma notícia dele...

Peço a todos que compartilhem essa notícia, pois vcs vão ajudar muito, desde já agradeço.
Por Blog do Gilberto Lima.

Comentários