Rio: após 14 corpos retirados de escombros, buscas são interrompidas

Um dia após o deslizamento de terra atingir nove casas e uma pizzaria no Morro da Boa Esperança, em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, as equipes de resgate encontraram mais quatro corpos na madrugada deste domingo (11/11). Ao todo, são 14 mortose 11 pessoas resgatadas com vida, entre elas, um bebê.

Segundo os Bombeiros que estão no local, uma mulher foi retirada morta dos escombros por volta da 1h30. E os corpos de três jovens foram encontrados às 4h45. Eles estavam debaixo de uma laje. A corporação manteve as buscas durante toda a madrugada e interrompeu o trabalho no início da manhã deste domingo (11).

O deslizamento de terra e pedras ocorreu na madrugada de sábado (10). “Choveu muito nos últimos dois dias. Niterói estava em estágio de atenção e alerta de acordo com a área e as comunidades foram avisadas dessa situação, com recomendação para buscarem locais seguros”, disse o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Roberto Robadey Costa Júnior.

Mais de 200 pessoas trabalharam no local do desastre, no sábado e durante toda a madrugada de domingo. Moradores do local se juntaram às equipes para ajudar voluntariamente na missão. Conforme o comandante Robadey, a remoção dos escombros e resgate das vítimas ou busca por mortos poderiam levar até 48 horas.

PUBLICIDADE

Além das vítimas retiradas durante a madrugada, há, entre os mortos, duas mulheres entre 50 e 60 anos e um homem de 37. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, seis feridos foram para o Hospital Estadual Azevedo Lima. Dois deles são crianças — um está em estado grave e outro, estável.

Segundo Claudio dos Santos, que se apresentou como presidente da associação de moradores do local, algumas das casas atingidas pelo deslizamento já estavam interditadas pela Defesa Civil há cerca de um ano, mas seus donos se recusavam a deixá-las.

“As casas estavam isoladas pela Defesa Civil. Só que os moradores não querem sair. Na sexta-feira (9) mesmo a gente estava preocupado com essa chuva”, disse. O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), negou que houvesse casas interditadas e descreveu o acidente como uma fatalidade. “Ocorreu ruptura de um maciço, não foi deslizamento de encosta”, afirmou, em entrevistas logo após a tragédia.

O governador eleito do Rio, Wilson Witzel (PSC), visitou o local na tarde de sábado (10) e lamentou o ocorrido. O governador Luiz Fernando Pezão (MDB), por meio de nota, se solidarizou com as vítimas e disse que o governo estadual “está mobilizado em auxiliar a prefeitura de Niterói, em razão do deslizamento”. O emedebista está fora do Rio de Janeiro.
Por Metrópoles.

Comentários