Deficiente visual processa Beyoncé por falta de acessibilidade no site da cantora

Segundo o The Hollywood Reporter, uma mulher cega está processando a Parkwood Entertainment, empresa da cantora americana Beyoncé e responsável pela produção do site da artista. 

A mulher, identificada como Mary Conner, afirma que o portal de Beyoncé não é acessível para pessoas que não enxergam, o que viola as leis americanas de acessibilidade.

Ela pede uma liminar que obrigue o site a ser acessível a todos, além de pedir também uma indenização para quem tenha "sido alvo de discriminação ilegal". O valor não foi divulgado. 

No texto da denúncia, Dan Shaked, o advogado de Mary Conner diz que "A única forma de entretenimento que realmente apresenta um campo para os deficientes visuais é a alegria da música."

"Ela sonha assistir a um show de Beyoncé e escutar sua música. No entanto quando visitou o site, encontrou inúmeras barreiras que limitavam sua acessibilidade". disse o advogado. 

A mulher diz que a página possui apenas "uma exclusiva interface visual", obrigando a pessoa cega a ter a ajuda de um ajudante que enxergue. Mary também ressalta que o site apresenta outros problemas como os menus que são difíceis de achar e há a impossibilidade de o internauta utilizar o teclado em vez do mouse. 

(Com informações da Folha de São Paulo)

Comentários